Uma Lambada MIL Batida Felipe Cordeiro Mary Feliciano

Uma Lambada de Batida, Felipe Cordeiro e Mary Feliciano

Quarta-Feira, 25 Março22h00 - 00h00B.Leza Concertos

“Se olhares bem da tua janela, vês a minha casa, porque das nossas casas avistamos um país para o qual estamos sempre a olhar.”
Pedro Coquenão aka Batida

Para a sua 4ª edição, o MIL desafiou os artistas Pedro Coquenão aka Batida, Felipe Cordeiro e Mary Feliciano para uma residência artística onde ao longo de 5 dias pisam um chão comum no triângulo que liga Lisboa a Belém do Pará. O terceiro vértice fica algures em Angola. Ou será esse o ponto de partida?

O desafio é simples: partindo da memória e imaginação de cada um dos intervenientes, tentar chegar a uma performance de música/dança que não consegue dissociar uma da outra. A defesa da Dignidade, o exercício da Justiça e a incitação à Resistência são o umbigo deste encontro. Em suma, uma lambada como resposta a todo o preconceito que sai da boca impunemente.

Há movimento livre e dança de Mary Feliciano, melodias na guitarra de Felipe Cordeiro e a caixa de ritmos de Pedro Coquenão que também deu o nome e assume a encenação deste encontro que quer ser mais do que uma validação de um conceito simplista de Lusofonia, assumindo a herança histórica de sangue, de movimento e do amor que tem de ser cultivado. Aproximemo-nos. É com este repto que abrirmos o MIL 2020.