Pode o rap ser um elemento unificador da lusofonia?

Quinta-Feira, 26 Março14h00 - 15h00Talks Room 2 – Palacete dos Marqueses do Pombal Talk
[painel em português]
O rap é um género com décadas de história em Portugal, inserido no movimento do Hip Hop. Tem tido um crescimento inegável nos últimos tempos e se há uns anos era impensável um rapper viver da música, hoje esta é uma realidade cada vez mais notória. O rap enche Coliseus, faz parte da banda sonora da vida de muitos elementos das novas gerações e passa em estações de rádio como nunca.
Do português ao crioulo, o rap feito em Portugal facilmente chega a outros países lusófonos e cria pontes entre universos que puderam já estar distantes. O mesmo se passa com o rap produzido além-fronteiras que, através da língua, aumenta a sensação de comunidade que o Hip Hop sempre quis potenciar.
Entre a Europa, a África e a América do Sul, a língua une cidadãos do mundo, mas os contextos em que se apresenta modificam. De que forma o contexto altera a forma como se apresenta e percepciona o rap? Em que medida é que o rap contribuiu para que se unissem as comunidades lusófonas? Será a língua um elemento facilitador de exportação?
O Gerador e o MIL unem-se nesta conversa para provocar o encontro de um painel de oradores que se debatem com o potencial de colaboração e intercâmbio deste género nos territórios lusófonos e os desafios que enfrentam.